Pub

quarta-feira, 14 de setembro de 2011

A ladainha do costume

Quando chega setembro, é a ladainha do costume: a falta de funcionários auxiliares nas escolas impede o regresso às aulas com normalidade!
Este ano a coisa piora!
Os meios de comunicação social avançam com números espalhafatosos: Há 5 mil funcionários auxiliares a menos!
Os municípios não têm dinheiro para novas contratações. Chovem acusações: os alunos do 1º CEB ficam sem acompanhamento. Há ginásios que não abrem por falta de auxiliares. E bares fechados.
Quando a espuma se dissolver, ficaremos a saber que afinal não foi bem assim. Os bares abrem e os ginásios também. E as aulas vão decorrer com normalidade.
Afinal, os alunos não precisam de ter um funcionário auxiliar em cada esquina, em casa sala, em cada recanto da escola!
Há menos funcionários auxiliares? Com certeza que há e terá que ser assim.
Podia ser de outra maneira?
Sim, caso quiséssemos manter o nível colossal de endividamento dos municípios e do país e seguir o caminho da Grécia, do incumprimento, do default e da insolvência. Assim poderíamos ter um funcionário auxiliar para cada cinco alunos ou até menos.
Temos que ter consciência que as escolas vão ter de viver com maior número de alunos por cada funcionário auxiliar. 
 
Tal como acontece na maior parte dos países!
A alternativa seria mais um aumento de impostos, quiçá mais um corte de salário e, por fim, a insolvência, o default.
 
Todos temos de fazer mais com menos.
É assim que se salva um país.
 
Eu sei...os maus hábitos custam a passar!

Nenhum comentário:

Postar um comentário