Pub

segunda-feira, 14 de novembro de 2011

Explicação da crise!...


Pediu-se a uma prestigiada consultora financeira para explicar de forma simples a crise que estamos a viver, para que as pessoas comuns compreendam as suas causas e consequências.

Esta foi a sua história:

Um homem apareceu numa aldeia do “enterior desquecido” e ofereceu aos seus habitantes 100 euros por cada burro que lhe vendessem.
Boa parte da população vendeu os seus animais.
No dia seguinte voltou e ofereceu melhor preço: 150 por cada burrico.
 Outra boa parte da população vendeu os seus.
Voltou um dia depois e ofereceu 300 euros.
 O resto do pessoal vendeu os últimos burros.
Ao ver que não havia mais animais disponíveis, o homem ofereceu 500 euros por cada burrico, dando a entender que os compraria na semana seguinte, e desapareceu.

No dia seguinte mandou à aldeia um cúmplice com os burros que tinha comprado, oferecendo-se para os vender  a 400 euros cada um.
Com a ganância de os vender a 500 euros na semana seguinte, todos os aldeãos compraram os burros a 400 euros. Quem não tinha dinheiro pediu emprestado. Entretanto, compraram todos os burros da região.

Como era de esperar, o fulano desapareceu, e o cúmplice também, e nunca mais se soube nada deles.

Resultado: A aldeia ficou cheia de burros e de gajos endividados.

Vejamos o que ocorreu depois:
Os que tinham pedido dinheiro emprestado, por não vender os burros, não puderam pagar os empréstimos.
Os que tinham emprestado dinheiro queixaram-se à junta de freguesia dizendo que se não retomavam o dinheiro ficariam arruinados,  e então não podiam continuar a emprestar… e toda a aldeia ficaria arruinada!
Para que os prestamistas não se arruinassem, o Presidente da Junta, en vez de dar dinheiro à gente da aldeia para pagar as dívidas, emprestou aos próprios prestamistas. Mas estes, que já tinham cobrado grande parte do dinheiro, não perdoaram as dívidas aos aldeões, que continuaram endividados.
O Presidente da Junta desbaratou assim o orçamento da freguesia, que ficou também endividada.
Então pediu dinheiro a outras freguesias,  mas estas negaram-se a ajudar porque, como estava  empenhada, não poderia devolver o que lhe emprestassem.

Resultado:
-         Os Chico-espertos do princípio, de papo cheio.
-         Os prestamistas, com a sua ganância satisfeita e um montão de devedores a quem continuam a cobrar o que lhes emprestaram mais os juros, e inclusive apropriando-se dos já desvalorizados burros com  que nunca conseguiriam cobrir toda a dívida.
-         Muita gente arruinada e sem burro para toda a vida.

Resultado final?:

Para solucionar esta preocupante situacão e salvar  toda a aldeia, a autarquia…

BAIXOU O ORDENADO DOS SEUS FUNCIONÁRIOS E CORTOU-LHE OS SUBSÍDIOS DE FÉRIAS E DE NATAL!

Nenhum comentário:

Postar um comentário