Pub

terça-feira, 6 de novembro de 2012

À espera do milagre

Paulo M. Guerrinha

Os sportinguistas esperam um milagre que ajude a salvar a época e há mesmo quem tenha visto o jogo de ontem como uma melhoria graças à entrada de Vercauteren. Mas uma derrota não chega. Não pode chegar para uma equipa como o Sporting.
Vitórias morais, por aquilo “que a equipa jogou na primeira parte”, não podem servir para animar os adeptos.
O treinador precisa de tempo. Precisa de conhecer os jogadores, de saber onde os colocar em campo e definir uma estratégia com base nas qualidades individuais para construir uma equipa.
O pouco tempo que Vercauteren tem como treinador do Sporting, aliado a toda a pressão psicológica que pesa sobre os leões, contribuiu para mais esta derrota em Setúbal. E agora vem aí a Liga Europa.
O Sporting precisa, mais do que nunca, de uma vitória, de um milagre que devolva a esperança e permita ao treinador pegar na equipa neste período de pausa para os jogos da Taça, onde os leões já não militam.
A equipa precisa de treino físico, de ânimo e uma grande dose de moral para conseguir levantar a cabeça. O campeonato já está perdido e o jogo com o Braga chega num momento decisivo. É preciso não esquecer que este Sporting está a apenas um ponto dos lugares de despromoção. O Braga está na luta pelo título.
Depois da paragem para os jogos da Taça, o Sporting volta a Moreira de Cónegos, desta vez para o encontro da 10ª jornada e mais do que pontos precisa de uma vitória que devolva a moral ao leão. Outro resultado será um carimbo no estado debilitado da equipa e uma derrota também na aposta de Godinho Lopes para esta época.
Mas, tendo em conta o histórico das últimas épocas, e o facto de tudo estar quase perdido, não seria de apostar forte na preparação da próxima época e assumir que a casa precisa de mais tempo para ser arrumada? Vercauteren tem contrato apenas até ao final da época. Terá vontade de trabalhar a pensar no futuro? Afinal Veracuteren assumiu o cargo também com a responsabilidade de fazer crescer a formação e isso não se faz apenas em meia dúzia de meses.
De outra forma, caso tudo falhe, Vercauteren será apenas mais um treinador queimado ao serviço do Sporting e não terá condições para se manter depois do final do campeonato. Isto, claro, se aguentar até ao fim do contrato.
Godinho Lopes tem de colocar as cartas na mesa e aliviar a pressão. Deixar claro que o trabalho a fazer vai levar tempo e tirar de cima dos ombros dos jogadores a responsabilidade do imediato.
O Sporting precisa de um milagre mas é penoso o caminho para lá chegar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário