Pub

quarta-feira, 26 de dezembro de 2012

10 dicas para melhorar a utilização do Windows 8

O Windows 8 foi lançado há pouco tempo, sendo já um verdadeiro caso de sucesso. É assim oportuno a apresentar aqui algumas dicas, para uma melhor adaptação a este sistema operativo.

1. Como se desliga o Windows?


Antes, talvez seja boa ideia explicar o porquê da Microsoft praticamente esconder a opção de desligar o sistema. Por quê? Porque ela não faz muito sentido em equipamentos modernos — tablets e ultrabooks em especial. Tablets quase nunca são desligados, ficam em modo suspenso e voltam num piscar de olhos. O mesmo é válido para ultrabooks. Mesmo em desktops antigos não é preciso apelar para o “Desligar”; use a hibernação, ou desligue apertando o botão (físico) do seu computador. É mais prático de diversas formas.

Mas se ainda assim quiser desligar, a opção continua a existir. Com o rato, posicione o cursor num dos cantos da tela à direita e arraste-o para baixo; com um écrã sensível a toques ou usando um touchpad atualizado, arraste o dedo da borda direita para dentro. Isso ativará a Charm Bar, uma coluna lateral com cinco ícones. Clique no “Configurações” e ali está, a opção “Ligar/Desligar”. Ela expande um menu suspenso onde aparece o “Desligar”. Clique e diga adeus ao Windows - até ao próximo arranque.

2. Organize o écrã Inicial

O écrã Inicial é o novo menu Iniciar. Ele é mais visual, ocupa o écrã todo e traz os apps representados por blocos (“tiles”), alguns deles dinâmicos (“live tiles”). Instale um app, seja na Área de Trabalho, seja da Loja de apps, e uma entrada será acrescentada ali. Vários apps depois, estará uma bagunça.
Calma, pode-se arrumar tudo muito bem!

Com o rato, clique com o botão esquerdo e arraste um bloco para reposicioná-lo. Se você o largar na interseção entre dois grupos de blocos, um novo (grupo) é criado. Pode criar quantos quiser, sem problema. Com o dedo, basta segurá-lo em cima do bloco e puxar para baixo, sem o tirar do écrã. O resto é igual.


Para gerir grupos de apps, use o zoom semântico, uma espécie de visão panorâmica disponível em várias partes do Windows 8 e em muitas apps também. Com o rato, clique no botão de “menos” no canto inferior direito ou prenda a tecla Control rolando a rodinha do mouse; com o dedo ou touchpad, faça o universal movimento de pinça. Os grupos ficarão pequenininhos e poderá reordená-los como quiser arrastando para lá e para cá. Nesse modo de visão, ainda, é possível batizar os grupos — ative o menu inferior (botão direito do rato ou toque e segure com o dedo) e, lá, clique em “Nome do grupo”.

Lembre-se, ainda, que é possível desafixar blocos da Tela Inicial. Se você nunca usa o app Finanças, por exemplo, selecione-o e, no menu inferior, clique em “Desafixar da Tela Inicial”.

3. Pesquisa em todos os lugares

Todos os Charms são contextuais, ou seja, eles se adequam ao app que estiver sendo usado. O de pesquisa não foge à regra. Se você o ativar (experimente o atalho Winkey + Q) a partir da Área de Trabalho ou no Écrã Inicial, a pesquisa será por apps instalados. Esse é um dos três contextos padrões/globais do sistema; além dele, há também um para configurações e outro para ficheiros.

Abaixo desses três terá vários ícones de apps. Selecionando um deles, basta fazer uma pesquisa para abrir o app diretamente nos resultados da consulta. É prático e economiza muito tempo, já que se abre a app desejada.

Para facilitar ainda mais, é possível remover apps que você não usa e fixar, no topo, os mais requisitados. Com o Charm “Pesquisar” aberto, clique com o botão direito do mouse (ou segure e dê uma puxada com o dedo) no app desejado; um menu surgirá, com as opções “Ocultar” e “Fixar”. Você sabe o que fazer. Para reverter as apps ocultas, entre nas configurações do Windows 8, depois em “Pesquisar” e reative o que quiser.

4. Altere os apps padrões


Vídeo, Música e outros apps padrões talvez não façam muito sentido para quem passa a maior parte do tempo na Área de Trabalho. Se esse for o seu caso, talvez prefira o Windows Media Player, VLC, SMPlayer, essas coisas mais… “antigas”. Acredite: é bem mais cômodo - embora bonitões, os apps modernos padrões são bem fraquinhos de recursos.

A primeira vez que se abre um formato de ficheiro, uma notificação surge perguntando se quer alterar a app padrão. Altere ali mesmo. Se por qualquer motivo, por exemplo não tiver instalado o app substituto ainda, não rolar, faça o seguinte depois: encontre algum arquivo do formato desejado no Explorador de Arquivos, clique com o botão direito nele, aponte para “Abrir com…” e clique em “Escolher programa padrão…” Um menu suspenso surgirá. Marque a caixa “Use este aplicativo para todos os arquivos [extensão]” e clique na app desejada.

5. Screenshots automáticas

Finalmente, finalmente o Windows grava screenshots diretamente numa pasta qualquer — no caso, a “Capturas de Tela”, dentro da biblioteca “Imagens”. Como? Segure a tecla Winkey e aperte a Printscreen. A tela piscará e a imagem da tela será guardada automaticamente, no formato PNG, na referida pasta. Simples assim.

6. Novas teclas de atalho

Nós adoramos teclas de atalho. Elas agilizam tanto o trabalho, minimizam o uso do mouse ou touchpad, tornam o dia a dia mais produtivo. O Windows 8 ganhou várias novas. Confira algumas:
Winkey + Tab: abre aquela lista de apps abertos à esquerda;
Winkey + C: abre a Charm Bar;
Winkey + I: abre o Charm “Configurações”;
Winkey + D: volta à Área de Trabalho. Se já estiver nela, minimiza todas as janelas;
Winkey + . (ponto final) ou Winkey + Shift + . (ponto final): ativa o Aero Snap moderno para a esquerda e a direita, respectivamente.

7. Entre diretamente na Área de Trabalho

Se realmente não suporta o novo Écrã Inicial, não tem problemas: o seu uso “moldará” o sistema para a ver pouco. Mas mesmo o mais ferrenho old school ainda se deparará com a nova encarnação do menu Iniciar na inicialização. Isso, claro, até aplicar esta dica.

Entre na pasta Windows e faça uma busca por “show desktop”. Apenas um resultado surgirá, um atalho. Copie-o para a seguinte pasta:

C:\Users\USUÁRIO\AppData\Roaming\Microsoft\Windows\Start Menu\Programs\Startup

Feito isso, na próxima inicialização o sistema entrará diretamente na Área de Trabalho. Écrã Inicial, só se você esbarrar sem querer na Winkey.

8. Três tipos de login

Além do login tradicional, usando uma senha, o Windows 8 traz dois outros formatos, a senha com imagem e o PIN.


A senha com imagem consiste em uma imagem (d’oh!) que recebe três gestos do usuário — os gestos podem ser linhas retas, círculos ou toques simples. É uma forma mais simples, ótima para telas sensíveis a toques. A outra forma é o PIN — um código de quatro números, similar ao bloqueio existe no iOS.

Essas modalidades estão nas configurações, na aba “Usuários”. Você pode configurar as três simultaneamente e, na tela de login, escolher a que quer usar.

9. Sincronize tudo


A Microsoft encoraja fortemente os usuários a fazer o login no sistema usando suas Contas Microsoft (ex-Windows Live IDs). As maiores vantagens são a possibilidade de baixar e comprar apps da Loja e a sincronia de configurações. Vale, muito, para essa última.

Nas configurações, clique em “Sincronizar suas configurações.” Ali é possível passar o pente fino no que será sincronizado ou não. Alguns exemplos? Estética (papel de parede, esquema de cores, imagens etc), idioma, informações do Internet Explorer (histórico, senhas) e configurações de algumas apps. As mudanças surtem efeito em tempo real e estendem-se automaticamente para todos os computadores usados com a mesma conta. É lindo de ver tudo mudando em tempo real.

10. Windows novo de novo

Não é preciso mais reinstalar o Windows para resolver problemas de lentidão ou mal funcionamento. O Windows 8 traz dois recursos legais que voltam o sistema ao estado de recém-instalado. É bem fácil usar e ambos estão nas configurações, aba “Geral”.

O “Atualizar PC sem afetar os arquivos” é uma mão na roda para resolver eventuais problemas de desempenho ou estabilidade do equipamento. Para casos mais graves, ou para quando o usuário quiser uma solução mais drástica (para vender ou doar um tablet que vinha usando, por exemplo), a seguinte é mais recomendada. Clicando em “Remover tudo e reinstalar o Windows”, é exatamente isso que o sistema fará: ele eliminará todas as apps, recentes ou antigas, arquivos e configurações, e trará o Windows de volta ao estado original de fábrica.

Fonte: Gizmodo

Nenhum comentário:

Postar um comentário