Pub

domingo, 6 de janeiro de 2013

Cinema Paraíso: Os filmes mais aguardados de 2013 (Parte 2)


Financeiramente, 2013 será certamente um ano difícil para todos os portugueses. Mas pelo menos o cinema continua a dar-nos inúmeras razões para sorrirmos e para encararmos o futuro com esperança!

Elysium

Tem potencial para se tornar o grande filme de ficção-científica de 2013. O realizador é o mesmo do surpreendente “District 9” e o elenco é encabeçado por Matt Damon e por Jodie Foster. Será, porventura, o grande rival de “Pacific Rim” na luta pelo box-office. Mas enquanto o filme de del Toro deve apostar na diversão, este deverá apostar essencialmente no negrume e na seriedade do enredo. A ver vamos quem vence essa batalha de gigantes.

The Lone Ranger

Tem Johnny Depp a fazer de side-kick meio aluado. E tem Armie Hammer a fazer de herói da fita com uma mascarilha a tapar-lhe o rosto. As meninas já estarão decerto convencidas. Os meninos deixar-se-ão convencer pela informação de que Gore Verbinski é o realizador de serviço e Jerry Bruckheimer o produtor. Pois é. A equipa é sensivelmente a mesma da trilogia “Pirates of the Caribbean”, pelo que só se pode esperar diversão para toda a família.

World War Z

Tem dado mais que falar pelas discussões constantes entre Brad Pitt e o realizador Marc Forster do que propriamente pela qualidade das imagens apresentadas. Os rumores de que os produtores não ficaram nada satisfeitos com o resultado final e obrigaram Forster a realizar novas filmagens também não ajudam a limpar a imagem de uma produção problemática. No entanto, “World War Z” continua a suscitar-nos curiosidade. Afinal de contas, é a batalha pela supremacia entre homens e zombies devoradores de carne humana. De modo que não podíamos mesmo deixar de aguardar com ansiedade a chegada desta película megalómana.

Stoker

É a estreia do realizador sul-coreano Chan-wook Park (autor de pérolas como “Oldboy” ou “Thirst”) no cinema falado em inglês. Park é um realizador de culto, pelo que não podíamos deixar esta sua incursão pelo cinema norte-americano de fora desta lista. Para além disso, o trailer aguçou-nos a curiosidade e o poster deixou-nos com água na boca.

Oz: The Great and Powerful

É o regresso de Sam Raimi após o controverso “Drag Me To Hell”, e logo com uma produção desta envergadura! Há muito que se falava na possibilidade de elaborar uma prequela do clássico e muito amado “The Wizard of Oz”. Pois bem, essa prequela chegou finalmente e, com um dos grandes mestres do fantástico aos comandos da operação, o resultado final augura-se magnífico. Mila Kunis, Rachel Weisz, James Franco e Michelle Williams são apenas alguns dos nomes que voltarão a dar vida a este mundo de fantasia. E é claro que Bruce Campbell também lá estará para dar uma mãozinha…

Monsters University


Filme da Pixar é sinónimo de filme mais aguardado do ano. A sério. Confirmámos isso no dicionário e tudo. É certo que a Pixar tem começado a vacilar um pouco nos últimos anos, pois filmes como “Cars 2” e “Brave” ficaram muito aquém das expectativas. No entanto, achamos que “Monsters University” tem tudo para voltar a encantar miúdos e graúdos.

Only God Forgives

Da última vez que Ryan Gosling e Nicolas Winding Refn se juntaram para fazer um filme, o resultado foi o soberbo e subvalorizado “Drive”. Dois anos mais tarde, o ator norte-americano e o realizador dinamarquês juntam-se novamente para nos trazerem outra história que promete sangue a rodos. Basta dar uma olhada ao poster para chegar à conclusão que “Only God Forgives” não será para meninos. Só é pena que a estreia em Portugal ainda esteja longe de se concretizar, pois tal não deverá suceder antes do verão.

The Master

Muitos dizem que é a obra-prima de Paul Thomas Anderson, superando até o intenso e muito aclamado “There Will Be Blood”. Definir esta obra como uma história sobre as origens da cientologia é tremendamente redutor, pois ela promete ser muito mais do que isso. Joaquin Phoenix parecer ter voltado à realidade em grande forma, num filme que decerto levantará inúmeras questões e colocará a audiência a pensar.

The Hunger Games: Catching Fire

Passar de “The Master” para a sequela de “The Hunger Games” é como mudar da água para o vinho. Todavia, “Catching Fire” ganhou o direito de estar aqui presente pela forma como o filme original adaptado dos livros de Suzanne Collins surpreendeu meio mundo. Esperava-se uma espécie de “Twilight 2”, mas “The Hunger Games” mostrou estar muito acima dos duelos entre vampiros e lobisomens adolescentes. O cliff hanger com que encerra o primeiro filme desperta ainda mais o apetite pela continuação da história, que deverá chegar às salas de cinema nacionais lá mais para o final do ano.

Zero Dark Thirty

É o tão aguardado filme sobre a violenta morte de Osama bin Laden. E é o filme certo para Kathryn Bigelow dar continuidade à sua carreira de cineasta, já que é uma película em tudo semelhante àquela que lhe deu o Óscar de Melhor Realizador. De certa forma, “Zero Dark Thirty” quase parece uma sequela de “The Hurt Locker”, já que o contexto histórico é o mesmo e até a equipa de produção é muito similar. Mas será Bigelow capaz de repetir a façanha e transformar a morte do líder da al-Qaeda num dos melhores filmes de 2013? Cá estaremos para ver isso.

The Hobbit: The Desolation Of Smaug

É, obviamente, um dos filmes mais aguardados do ano, se não o filme mais aguardado de todos. Depois de uma primeira parte que pôs de lado a maior parte dos receios e deixou bem claro que Peter Jackson continua em grande forma, o segundo capítulo desta nova trilogia passada na Terra Média de J.R.R. Tolkien tem tudo para se afirmar como um dos grandes acontecimentos cinematográficos de 2013. O dragão Smaug (que tanta curiosidade tem suscitado) terá finalmente honras de destaque e o negrume deverá adensar-se para preparar o terreno para o estrondoso capítulo final.

Nenhum comentário:

Postar um comentário