Pub

sexta-feira, 11 de janeiro de 2013

Jornalismo de coscuvilhice

A comunicação social, infelizmente, é um dos principais obstáculos à resolução dos problemas do País…

Por vezes a sua prioridade parece ser garantir que nada de sério, nada que possa resultar numa mudança do "establishment" e nos privilégios daqueles que usufruem do “bem colectivo” (à custa do trabalho da grande maioria da população), seja discutido.

O “jornalismo de coscuvilhice” é uma arma fundamental neste objectivo...

Em alturas onde existem tantos assuntos de interesse para discussão pública, faz sentido o destaque dado a alguns casos que apenas dizem respeito à vida pessoal de cidadãos – mesmo tratando-se de figuras públicas?!


Estas “coscuvilhices” apenas servem para introduzir ruído, desviar as atenções do que é essencial e estimular o apetite do cidadão comum pelo voyerismo tipo "reality show", fomentar aquela curiosidade pela vida alheia. Enfim, por assuntos que apenas se relacionam com a vertente privada da figura pública, os Srs. Jornalistas parecem ter um prazer especial em espezinhar ou enfraquecer esta ou aquela figura. Será assim que se sentem realizados, com estas demonstrações de poder da comunicação social e dos media? É para prestar este tipo serviço, de informação, que o Jornalismo existe?

Eu aqui me confesso, já bebi e já conduzi com uma taxa ilegal de álcool, obviamente não me orgulho disso, mas nunca deixei que o álcool interferisse na minha vida profissional. E isto tem relevância pública? Nenhuma. Se fosse deputado, teria?

Aliás acho que neste País os jornalistas devem ser a única classe onde estas e outras coisas, nunca serão notícia...

Nenhum comentário:

Postar um comentário