Pub

sábado, 6 de abril de 2013

Recupere a sua vida em 10 passos

Como devo medir a minha vida?

É inteligente, esforçado e bom profissional, mas a verdade é que demasiadas vezes sente que a sua vida é uma sucessão de exigências a que tem de dar resposta e poucas vezes a vê como fonte de satisfação. Gostava de ter mais controlo sobre os seus dias, mas está permanentemente a tentar manter-se em dia e não tem tempo para nada?

Oiço estas queixas vezes sem conta, em qualquer nível de qualquer organização, desde os chefes de departamento a CEO de grandes empresas. E estou convencido de que não tem de ser assim. A solução passa por incluir na sua vida uma série de práticas simples.

De momento, lembro-me de dez, mas não é realista pensar em conseguir tudo de uma vez. O que espero conseguir é conduzi-lo numa viagem em que as vá adicionando aos poucos, durante os próximos meses. E nem precisa de dar todos os dez passos para a sua vida começar a funcionar melhor. Mas é natural que, quanto mais seguir, mais controlo consiga ter sobre a sua vida.

Cada mês, começando dia 12, veja aqui novas práticas que podem ajudá-lo a recuperar a sua vida.

1. Durma o suficiente todas as noites. Um bom descanso é talvez o menos valorizado dos comportamentos diários e no entanto a maior fonte de poder para melhorar a sua experiência sempre que está acordado. Se dormir 6,5 horas, em média, ficar mais uma hora na cama vai dar-lhe mais energia, resistência e claridade mental. (Leia mais aqui)

2. Mexa-se mais. Não é só pelo seu coração e saúde física, mas também ajuda à sua saúde mental. Fazer algum tipo de exercício físico que aumente os batimentos cardíacos durante 30 minutos, pelo menos quatro vezes por semana e de preferência durante o dia, fará milagres pela sua resistência e humor.

3. Coma menos, mais vezes ao dia. A comida é o seu combustível – e as proteínas e os hidratos de carbono dão-lhe aquela energia extra. Sentir-se-á melhor se for alimentando aos poucos o seu motor, em pequenas doses diárias, começando ao pequeno-almoço.

4. Renove mais energias. Os seres humanos não foram concebidos para trabalhar continuamente como máquinas. Pelo contrário, deve alternar entre gasto e renovação de energias. Idealmente, faça um pequeno intervalo a cada 90 minutos, mesmo que seja apenas para passar um ou dois minutos a respirar profundamente.

5. Invista naqueles que ama. O melhor presente que pode dar é a sua atenção absoluta. É melhor estar presente e atento durante uma hora do que muitas horas distraído e a sofrer interrupções sucessivas.

6. Agradeça. Muito mais facilmente reconhecemos aquilo que está mal nas nossas vidas do que o que é bom. E em consequência, queixamo-nos a toda a hora. Pelo menos uma vez por semana, escreva à mão e depois envie por correio uma nota de agradecimento a alguém que o tenha merecido, dizendo a essa pessoa como foi boa para si.

7. Faça o mais importante primeiro. É de manhã cedo que tem mais energia e menos distrações. Comece o seu dia de trabalho concentrando-se ininterruptamente durante 60 a 90 minutos no desafio mais importante do dia e resolva-o.

8. Reflita. Estamos tanto tempo preocupados com o que é urgente que raramente pensamos realmente no que estamos a fazer. Reserve 15 a 30 minutos no final de cada dia de trabalho para refletir em silêncio e sem interrupções naquilo que aprendeu nesse dia e organize mentalmente as suas prioridades para o dia seguinte.

9. Continue a aprender. O nosso cérebro funciona tanto melhor quanto continuamos a exigir dele – e a vida também se torna mais interessante com novos desafios. Ler livros é uma boa forma (e simples) de aprender e crescer, mas impor-se a aprendizagem de uma língua nova, de uma modalidade desportiva, de um instrumento ou até de algo prático como arranjar um carro ou desenhar, tem efeitos fantásticos.

10. Retribua. Tire pelo menos uma hora por dia para pôr de lado as suas necessidades e fazer qualquer coisa pelo mundo. Ajude alguém, faça voluntariado, dê a conhecer uma causa, o que quiser. Uma hora por semana é muito pouco, mas é um começo – e é decerto mais do que a maioria de nós dedica aos outros.





Nenhum comentário:

Postar um comentário