Pub

sexta-feira, 17 de maio de 2013

Neste dia... na História!...

Heyerdahl navega numa embarcação feita de papiro
17 de maio 1970


Zarpa o Ra II, um barco de vela construído em papiro pelo antropólogo norueguês Thor Heyerdahl, para atravessar o Atlântico.
O expedicionário e perito em navegação antiga Thor Heyerdahl (n.1914), que realizou a sua primeira expedição marinha à Polinésia em 1937, construiu uma réplica de um barco egípcio antigo, o Ra, com juncos de papiro, para provar a sua teoria de que os egípcios foram os primeiros navegadores a chegar ao continente americano.
Em 1969, após inúmeras cruzadas -entre outras às Ilhas Galápagos, à Ilha de Páscoa e a expedição do Kon-Tiki-, Heyerdahl zarpou do antigo porto fenício de Safi, Marrocos, a bordo de um veleiro de 15 metros, para a América Central em Maio de 1969.
Com uma tripulação de sete homens de sete países diferentes, sob uma bandeira das Nações Unidas, o Ra navegou 5000 quilómetros em 56 dias. As tormentas do Atlântico e a construção deficiente não permitiram que a expedição atingisse o seu destino: Heyerdahl teve que abandonar quando faltava uma semana de navegação para chegar às Ilhas Barbados.
Dez meses depois, o navegador norueguês construiu e lançou no mar o Ra II e cumpriu a sua missão de atravessar o Oceano Atlântico em 57 dias.


Foi encontrada a urna de Chaplin
17 de maio de 1978


No dia 17 de maio de 1978, reapareceu a urna do artista Charles Chaplin em Noville, na Suíça. O túmulo foi roubado a 1 de março do mesmo ano por um bando de ladrões polacos.
A intenção dos saqueadores era chantagear a família do falecido e mítico ator, mas o plano fracassou e o bando foi capturado pela Polícia.
Os restos mortais profanados foram recuperados nas proximidades do Lago Lemán e o corpo foi sepultado novamente, desta vez sob dois metros de betão para evitar que o túmulo fosse novamente profanado.


O Caminho de Santiago foi declarado Património Cultural Europeu
17 de maio de 1993


A 17 de maio de 1993, os Ministros da Cultura da CEE declararam o Caminho de Santiago Património Cultural Europeu. Além do alcance religioso, a vertente social e cultural do Caminho ganhou popularidade na Europa ao longo dos séculos.
As origens do culto a Santiago na Hispânia romana datam da descoberta das relíquias atribuídas ao Apóstolo Santiago no ano 812. No fim do século IX, a peregrinação estendeu-se pela Europa cristã e, um século depois, o número de devotos aumento consideravelmente com a chegada dos cidadãos europeus.
Roma, Jerusalém e Santiago de Compostela foram consolidadas como as rotas religiosas mais importantes. O Caminho de Santiago, além de ser Património Cultural Europeu, recebeu inúmeros títulos honoríficos como o da Maior Estrada da Europa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário