Pub

segunda-feira, 5 de agosto de 2013

Playlist: 10 discos frescos para dias quentes

Eletrónica vitaminada e rock soalheiro. Música para dançar e para contemplar. O verão 2013 não seria o mesmo sem eles...

Eleanor Friedberger 
Personal Record 


É fácil: se ainda é assombrado pela avalanche palavrosa dos Fiery Furnaces e desconfia que o segundo álbum a solo da mana (Eleanor) Friedberger lhe vai reavivar uma congestão antiga, vá direto às canções que o clube dos amigos BLITZ pôs de parte a pensar em si: uma chama-se "When I Knew", a outra responde pelo título "Stare At The Sun". Se estiver a chover, vai passar a fazer sol. Se estiver a chorar, vai passar a sorrir. Que bela é a vida. 



Primal Scream 
More Light 


Ao cabo da segunda canção de More Light , já fugiram 15 minutos da nossa vida. Mas que experiência! "2013", com um insistente fraseado arábico, e um fundo de guitarras em cascata é uma autêntica sessão de hipnotismo; "River of Pain" faz o mesmo com uma percussão magrebina e um cutucante riff de guitarra acústica. E depois, maravilha, ainda há quase uma hora de música para desbravar. Um disco de cabeceira para noites quentes.



Major Lazer 
Free the Universe 


A salgalhada de sons e vozes a que Major Lazer, projeto do produtor norte-americano Diplo (colaborador de M.I.A. e Santigold), nos habituou em Guns Don't Kill People... Lazers Do , regressa numa segunda aventura discográfica. O músico atira-se a música luminosa com a ajuda de Amber Coffman (Dirty Projectors) em "Get Free", Peaches em "Scare Me", Ezra Koenig (Vampire Weekend) em modo reggae em "Jessica" ou Wyclef Jean em "Reach for the Stars". Mais fresquinho não há.



Charli XCX 
True Romance 


Passou 2012 a ser apontada como uma das grandes promessas da pop britânica e finalmente chega o tão aguardado álbum. Em True Romance , Charli XCX posiciona-se algures entre Marina and The Diamonds e Katy B com uma coleção de canções regadas por eletrónicas inocentes, perfeitas para amores de verão. Para conferir em "You (Ha Ha Ha)", como um sample carinhosamente "roubado" a Gold Panda, no incisivo "Stay Away" ou num "Set Me Free" onde evoca Gwen Stefani.



Daughter 
If You Leave 


Os Daughter são um trio de Londres, mas as suas raízes remontam ao projeto a solo de Elena Tonra e isso nota-se. A voz quente e quebradiça da britânica é o centro nevrálgico de todas estas inspiradas canções de desamor, encaixadas na perfeição entre a pop acústica e a eletrónica pouco intrusiva. If You Leave é o primeiro álbum da banda, saiu pela 4AD e ameaça ser uma companhia fiel para as nossas tardes de verão.



Mikal Cronin 
MCII 


Ouvimos falar em Ty Segall e pensamos logo em garage rock crispante e espalha-brasas. Mas Mikal Cronin é o amigo certinho de Segall, rapaz com talento para urdir uma boa melodia por cima de um bom arsenal de guitarrada. Louve-se o apego ao cânone pop de "The Weight", o arranjo floral saltitante de "See It My Way" ou a descarga Nirvanesca de "Change". São dores de adolescência tardia, é bom de ver mas para que outra coisa servirá o verão?



Devendra Banhart 
Mala 


O oitavo álbum do norte-americano "importado" da Venezuela chegou em março, mas as suas canções leves, doces e melodiosas cheiram a verão. Lentas e acústicas, "Daniel", "Never Seen Such Good Things" ou "Mi Negrita" vão certamente fazer um brilharete no estio português (Devendra atuou ontem na Casa da Música, no Porto, e sobe hoje ao palco do CCB, em Lisboa).



Wado 
Vazio Tropical 


Enquanto o Brasil se agita em grandes manifestações urbanas, Oswaldo Schlikmann Filho, músico radicado na região nordestina do Maceió, atravessou o Atlântico e "estacionou" em Portugal, mais precisamente no Barreiro, onde gravou o seu novo álbum, Vazio Tropical . Marcelo Camelo e Fred Pinto Ferreira (Orelha Negra) ajudaram, o maravilhoso Cícero participa e o calor, humano e musical, emanam de "Zelo", "Primavera Árabe" ou "Tão Feliz".



Marnie Stern 
The Chronicles of Marnia 


The Chronicles of Marnia é uma versão abreviada do fogo-de-artifício do "guitar hero", no feminino: Stern abusa do "tapping', mas fá-lo em espírito próximo do "riot-grrrl" e do "noise" num rendilhado elétrico que também direito a canções: "Noonan" e "Immortals". Fervilhante e hiperativo.



Marnie 
Crystal World 



É outra Marnie. Vocalista principal dos ingleses Ladytron, Helen Marnie estreou-se agora a solo em territórios de negrume electro-pop não muito distantes da obra da banda de que faz parte. "Violet Affair", de tempero retro 60s, é a excepção à digitália: a voz de cristal de Helen junta-se a teclados borbulhantes que já ouvimos nos Stereolab. Adorável.


Fonte: Blitz

Nenhum comentário:

Postar um comentário