Pub

sexta-feira, 6 de janeiro de 2012

Televisão Digital Terrestre (TDT)


o-que-e-tdt
A TDT – televisão digital terrestre – é uma nova tecnologia de teledifusão terrestre (através de antenas) em sinal digital que irá substituir a atual teledifusão analógica terrestre (televisão “tradicional”). A TDT permite uma utilização mais eficiente do espectro, razão pela qual a Comissão Europeia determinou que esta tecnologia fosse introduzida em todos os países da União, estabelecendo um prazo (até 2012) para o desligamento da atual transmissão analógica.

Funcionamento da TDT

Na Televisão Digital Terrestre, os sons e imagens de diferentes canais de TV são digitalizados, codificados e difundidos através do ar pelos centros emissores. Este sinal é posteriormente recebido, por intermédio das antenas individuais ou coletivas dos edifícios, e convertido novamente no som e imagem de cada canal de TV pelos descodificadores TDT (independentes ou integrados nos televisores) instalados nas casas.

Os benefícios da TDT

Acima de tudo, os portugueses que vêem os 4 canais atuais (5 nas regiões autónomas) através da televisão tradicional vão beneficiar de uma melhor experiência de televisão:
  • A TDT disponibiliza, para além da RTP1, RTP 2, SIC, TVI, RTP Madeira e RTP Açores (nas Regiões Autónomas), um canal em Alta Definição (HD – High Definition), partilhado pelos operadores;
  • A TDT permite também funcionalidades avançadas de utilização da televisão, como sejam Guia TV (EPG), Barra de Programação, Pausa TV, Gravação da Emissão ou Agendamento de Gravações;
  • A qualidade de som e imagem da emissão em TDT é muito superior à da atual emissão analógica, fruto sobretudo da natureza digital do sinal (possibilidade de som Dolby digital).

Como receber a TDT

Para receber as emissões da TDT é necessário possuir um televisor com sintonizador DVB-T e que suporte a norma MPEG-4/H.264. No caso de o seu televisor não suportar a norma MPEG-4/H.264 (a maioria não suporta), tem duas alternativas:
  • Adquirir um novo televisor que suporte a norma MPEG-4/H.264;
  • Aadquirir um recetor de TDT DVB-T que suporte a norma MPEG-4/H.264. Este receptor é ligado entre a antena recetora e o televisor e a ligação ao televisor pode fazer-se através de cabo HDMI, Scart ou tomada de antena.
É ainda necessário possuir ou ter acesso a uma antena de UHF, de preferência exterior, e de banda larga (C21-C69), orientada para o emissor de TDT que serve a sua zona.

Perguntas frequentes sobre TDT

Quando começou a TDT em Portugal?

As emissões de TDT em Portugal começaram no dia 29 de abril de 2009, em 29 localidades do litoral, interior e ilhas, cobrindo 40% da população portuguesa. Nessa data, a lista de localidades cobertas pela TDT era a seguinte: Alcochete, Almada, Alpiarça, Amadora, Barreiro, Benavente, Chaves, Coimbra, Entroncamento, Évora, Faro, Funchal, Gaia, Golegã, Lisboa, Mangualde, Matosinhos, Moita, Montijo, Oeiras, Olhão, Palmela, Ponta Delgada, Porto, Salvaterra de Magos, Seixal, Sintra, Torres Novas e Viana do Castelo. Desde aí, o alargamento das emissões de TDT tem sido progressivo, cobrindo cada vez mais localidades nacionais. No entanto, só existe a obrigação de chegar a 87,26% da população utilizando emissores terrestres. Isto significa que até 12,74% da população poderá vir a receber as emissões digitais via satélite, devido à dificuldade de cobertura de alguns locais. O fim das emissões analógicas de televisão, que chegam às nossas casas desde 1957, está previsto para o dia 26 de abril de 2012.

Preciso de comprar uma TV nova?

Não. Apenas terá de comprar um descodificador compatível com a tecnologia DVB-T e com a norma MPEG-4/H.264, caso não possua já um equipamento que permita a receção direta do sinal digital compatível com esta norma. Possuindo uma antena UHF instalada e um descodificador compatível, basta ter a antena orientada para o emissor TDT mais próximo da sua zona e sintonizar os seus equipamentos para o digital, utilizando a sintonia automática do seu equipamento ou, caso prefira, sintonizando o seu descodificador no canal 56 da banda UHF se estiver em Portugal continental.

Preciso de comprar uma antena nova?

O serviço de Televisão Digital Terrestre é fornecido através do ar e necessita, por isso, de uma antena de receção para captar o sinal de TV. Se já utiliza a receção analógica terrestre e dispõe de uma antena de receção UHF e respetiva cablagem até ao seu televisor, apenas necessitará de adquirir o descodificador compatível com a tecnologia DVB-T e com a norma MPEG-4/H.264. Se não possuir serviço de receção de sinal analógico, deverá proceder à instalação de uma antena UHF e respetiva cablagem na sua habitação, e adquirir o descodificador compatível com a tecnologia DVB-T e com a norma MPEG-4/H.264.
Caso não utilize o serviço terrestre analógico, mas possua a instalação de cabo e a antena UHF, bastará adquirir o descodificador compatível com a tecnologia DVB-T e com a norma MPEG-4/H.264. Possuindo uma antena UHF instalada e um descodificador compatível, basta ter a antena orientada para o emissor TDT mais próximo da sua zona e sintonizar os seus equipamentos para o digital, utilizando a sintonia automática do seu equipamento ou, caso prefira, sintonizando o seu descodificador no canal 56 da banda UHF se estiver em Portugal continental ou na Região Autónoma da Madeira, ou no canal 54 na Região Autónoma dos Açores.

Quanto custará mudar para a televisão digital?

A receção das emissões da TDT é gratuita. Se já utiliza a receção analógica terrestre com 4 canais (5 nas Regiões Autónomas), o custo de mudança para digital corresponde apenas ao valor do descodificador que terá que ser compatível com a tecnologia DVB-T e com a norma MPEG-4/H.264, caso não possua já um equipamento de TV que permita a receção direta do sinal digital compatível com esta norma.

Quem já tem TV por subscrição pode ter TDT?

Quem já tem TV por subscrição não tem de se preocupar, uma vez que a TDT não afeta estes serviços. Contudo, se apesar de ter TV por subscrição, tiver televisores em casa que estejam ligados à antena com acesso aos atuais 4 canais gratuitos (5 nas Regiões Autónomas), então deverá prepará-los para a TDT.

Sistemas de televisão por IPTV, cabo ou satélite são obrigados a passar para TDT?

Não. Caso não utilize o serviço terrestre analógico (televisão “tradicional” por antena), mas sim um serviço de TV por subscrição (cabo ou satélite), não necessita de fazer qualquer alteração, pois a TDT não tem qualquer impacto nestes serviços.

Será necessário um descodificador por cada televisor ou um dá para as várias televisões da habitação? E do prédio?

Por cada televisão tem que haver um descodificador de TDT compatível com a tecnologia DVB-T e com a norma MPEG-4/H.264, uma vez que a execução de todos os comandos, como mudar de canal ou alterar o volume, por exemplo, passará diretamente para o descodificador, através do seu telecomando. No entanto, perspetivam-se soluções mais avançadas que permitem ao utilizador descodificar o sinal da TDT e distribuí-lo para todas as habitações do prédio e divisões da casa com cabo de ligação à antena. Estas soluções, contudo, não deverão suportar a totalidade das funcionalidades da TDT.
Fonte: ComoFazer

Nenhum comentário:

Postar um comentário