Pub

segunda-feira, 20 de maio de 2013

Playlist: As 10 melhores canções para curar insónias

The Everly Brothers "All I Have To Do Is Dream" (All-Time Original Hits, 1958) 

Canção de amor, isto? Temos muitas dúvidas. Quem ouvisse os irmãos Everly a entoarem seus versos de devoção amorosa pensaria, isso sim, que isto seria uma conspiração contra a indústria farmacêutica, de tal modo o efeito de sonolência se faria sentir! Muitos anos depois, a eficácia continua comprovada. 


The Beatles "I'm Only Sleeping" (Revolver, 1966) 

A coisa até que veio muito a jeito, numa altura em que a estereofonia começou a emergir. Mas o segredo aqui está nos efeitos das guitarras, cujo resultado equivale a uma sessão de hipnotismo sonoro em modo dual. E, como se sabe, a diferença entre uma pessoa hipnotizada e outra a dormir apenas depende de uns aspectos técnicos. Na prática, acaba por ser a mesma coisa. 


Bob Dylan "Lay Lady Lay" (Nashville Skyline, 1969) 
"Lay, lady, lay, lay across my big brass bed". Todos sabemos que as intenções de Bob Dylan eram outras. Só que difícil seria que qualquer "lady" não se deitasse fosse onde fosse. Porque o efeito de ouvir Bob Dylan a cantar versos de amor com voz de homem cansado sob um fundo sonoro tão suave que quase se evaporava era tal que um bom soninho era remédio santo! 


Sting "Fragile" (Nothing Like The Sun,1987) 

Não creditemos Sting por, com esta canção, ter inventado esse autêntico soporífero de género musical chamado New-Age. Mas a verdade é que todos os traços já lá estavam: guitarrinha melosa, sintetizadores idem. E Sting no topo, a debitar umas muito espirituais frases feitas. Metade do mundo rejubilou, a outra roncou para o outro lado da cama. 


Spiritualized "Spread Your Wings" (Pure Phase, 1994) 

Dizem os nossos amigos especialistas nestas coisas que a música dos Spiritualized serve para expandir a mente e levá-la a lugares nunca imaginados. O único lugar a que "Spread Your Wings" nos parece levar, no entanto - com todos os seus ramalhetes de guitarra e sintetizador e violinos sonhadores -, é para uma cama bem fofinha. E que bem lá se está! 


R.E.M. "Airportman" (Up, 1998) 

Quase que podíamos fazer copy/paste do que dissemos em relação aos Spiritualized e pô-lo aqui, neste mesmo sítio. Afinal, a temática é a mesma, com a diferença de que as asas, entretanto, ganharam motor e combustível. Mas não atiremos isto tão à cara dos R.E.M. Afinal, eles estavam na "fase experimental" que todas as grandes bandas parecem inevitavelmente atravessar. 


Underworld "Push Downstairs" (Beaucoup Fish, 1999) 

Era inevitável. Depois de andarem a distribuir bomba de pista atrás de bomba de pista, os Underworld também tinham que ter direito aos seus momentos de chill-out. Que, muito apropriadamente, são tão extremos nessa intenção quanto os temas dançantes. De tal modo que o mais difícil será não ficar embalado que nem um bebé assim que "Push Downstairs" emane das colunas. 


Sigur Rós "Svefn-G-Englar" (Ágætis Byrjun, 2000) 

Lembram-se de falarmos sobre conspirações contra a indústria farmacêutica? Pois os Sigur Rós lá se têm governado. Cada tema, cada dose de Xanax. Pode mesmo dizer-se que estes islandeses têm criado uma autêntica indústria de medicina alternativa por si mesmos. "Svefn-G-Englar" ("Canção de Embalar" em islandês) é apenas o mais notório desses comprimidos. 


Pop Dell'Arte "So Goodnight" (So Goodnight EP, 2002) 

Em 2002, os Pop Dell'Arte já não eram os mesmos terroristas que, juntamente com Adolfo Luxúria Canibal, proclamavam um "Juramento Sem Bandeira" capaz de acordar até aquele com o sono mais pesado. Nesta altura, mais cresciditos, decidiram abrir um negócio em parceria com o João Pestana. Os coros angelicais e os sintetizadores sedosos de "So Goodnight" foram o primeiro fruto. 


Gorillaz "El Mañana" (Demon Days, 2005) 

Até os bonecos animados precisam de um descanso dos justos. Mesmo se, não sendo humanos, a sua noção do que constitui relaxamento acabe por ser um pouquinho mais agitada. No entanto, isso não quer dizer que "El Mañana" seja algo assim tão balanceado. Digamos que é insuficientemente ritmado para se confundir com uma canção de embalo. 


Fonte: Blitz

Nenhum comentário:

Postar um comentário