Pub

quarta-feira, 12 de dezembro de 2012

Para acabar com o mito

O Benfica foi melhor no dérbi e ganhou. Aliás, é esta época (muito) mais equipa do que o Sporting – como comprova facilmente a classificação –, e quando assim é torna-se mais fácil vencer.

É bom para acabar com o mito de que ganha muitas vezes a equipa mais fraca. O que sucede nestes jogos é que a diferença se sente menos, pois um dérbi é especial e atua na mente dos jogadores. Mas a motivação, por si só, não ganha. Os leões foram mais fortes na 1.ª parte porque correram muito, secaram as peças principais do Benfica e mereceram a vantagem ao intervalo. Já na segunda perderam por falta de comparência. Ou quase, o resultado foi o mesmo.

Saltou à vista que o leão fraquejou fisicamente, mas é difícil ligá-lo ao Videoton. Será mais o caso de que quando a cabeça não tem juízo, o corpo é que paga. Ficaram sem ideias, sem fio de jogo e disparataram no processo defensivo. Não será melhor fazer como Vercauteren? Enfrentar o problema e assumir responsabilidades, em vez de procurar desculpas constantes? Confesso não ter percebido o porquê de o belga ter demorado tanto a mexer. Capel estava morto e havia soluções no banco.

Estranha a entrada do Benfica no jogo. Respeito demasiado pelo adversário e total ausência de ideias e processos. Na segunda parte tudo mudou e Cardozo voltou a fazer miséria na defesa leonina. Não é difícil. Aos leões falta uma dupla de centrais digna desse nome. Tacuara devia ter agradecido.

Não precisaram os encarnados de fazer muito. Bolas nas alas, meio-campo mais rápido, pressão na defesa contrária e os golos surgiram naturalmente. O talento do paraguaio para marcar ao Sporting faz lembrar Liedson, que exibia a característica contrária. São heróis assim o sal do futebol, são eles que merecem todas as nossas loas.

Pena a nova troca de galhardetes entre presidentes. Mas a avaliar pelo comportamento que vão mantendo, é disto que o povo gosta. Seja.

Nenhum comentário:

Postar um comentário