Pub

sexta-feira, 1 de fevereiro de 2013

O que mais irá acontecer?

Nem aquilo que não se imagina que possa suceder, acaba mesmo por acontecer ao Sporting. A manhã leonina começou com a notícia de que Niculae já tinha representado dois clubes e, portanto, embora pudesse ser inscrito por um terceiro, não poderia jogar. Que não, que não era bem assim, alegou o Sporting, mas quando a meia-noite se aproximou, os leões deixaram cair o romeno.

Fizeram bem, claro. Independentemente das interpretações distintas sobre o começo e fim das épocas, em Portugal e na Roménia, era de todo recomendável que os leões cancelassem o negócio. No fundo, era uma insensatez correr riscos que poderiam colocar o Sporting numa situação ainda mais difícil do que está.

A tentativa de contratar Kléber em última instância, também falhou. O Sporting desde a primeira hora que tentou incluir o ponta-de-lança brasileiro no negócio de Izmailov. Não conseguiu, mas não desistiu. No entanto, nem na fase do desespero foi possível contratar o avançado e, assim de repente, o leão viu escapar-se-lhe por entre os dedos três reforços. Fica, pois, com Wolfswinkel para atacar os 14 jogos que faltam disputar até final desta época “horribilis”. Será talvez altura de recuperar Rubio para o plantel principal.

O pior de tudo, porém, aconteceu ao fim da tarde. A conferência de imprensa da mesa da assembleia geral do Sporting até foi interessante e esclarecedora. O “vice” Daniel Sampaio adotou uma postura de Estado que o presidente da MAG não teve em muitas ocasiões. Respondeu a tudo, não entrou em ataques pessoais e apenas deixou um recado: “Os sócios do Sporting saberão distinguir quem sempre os respeitou dos outros que os quiseram silenciar recorrendo ao tribunal”. Até aqui tudo bem. Só que a sessão de esclarecimento com os sócios que se seguiu foi uma indignidade. Aqueles que obrigaram à sua interrupção não respeitaram ninguém. Lamentável.

Foi um dia mau para o Sporting. Deseja-se que não haja outro mais negro. Bom senso e sentido de responsabilidade, precisam-se.

Nenhum comentário:

Postar um comentário